Blog > Novidades

Nota de esclarecimento Creme de Rosto Barral BabyProtect

Out 3, 2018

O Infarmed solicitou a retirada do creme de rosto por dois motivos distintos:

 

Por um lado, detetou uma substância (fenoxietanol) que não estava no rótulo. Relativamente a este ponto convém esclarecer que o fenoxietanol é uma substância conservante, considerada segura pelas autoridades competentes, presente em inúmeros cosméticos para crianças e adultos. A questão levantada pelo INFARMED tem apenas a ver com ele não constar no rótulo.

A resolução desta questão é fácil: esta substância constará do rótulo dos próximos lotes que serão colocados no mercado. A Angelini não a tinha mencionado no rótulo porque a concentração no produto final é muito baixa (0,01%).

 

A segunda questão é descrita pelo INFARMED como utilização de conservantes não autorizados. Quem não conheça bem a legislação poderá pensar que na composição do Creme de Rosto Barral se encontram substâncias não autorizadas. Mas não é o caso: todas as substâncias que lá se encontram podem lá estar, inclusive o fenoxietanol. A questão que o INFARMED levanta prende-se com a exigência que todos os produtos no mercado tenham conservantes que pertençam a uma lista mais restrita de ingredientes (designada Anexo V e na qual está listado o fenoxietanol). Para o INFARMED só pode  ser atribuída função conservante às substâncias deste anexo. É por esta razão que o INFARMED considerou que o produto não tinha conservantes autorizados.

 

Mas o creme de Rosto Barral BabyProtect não tinha conservantes?

Na formulação que estava no mercado a função de conservação era assegurada por um conjunto de substâncias que são permitidas em cosméticos, mas cuja função principal não é conservante. É o caso do  phenethyl alcohol e ethylhexylglicerin que têm efeitos antimicrobiano, são permitidas em cosméticos, mas estão na fórmula predominantemente como hidratante.

 

Por não constarem do Anexo V, o Infarmed não reconhece o seu efeito conservante, pois considera que os produtos devem obrigatoriamente ter conservantes do Anexo V.

A Angelini irá resolver esta questão alterando a formulação do produto, de forma a incluir pelo menos um conservante do Anexo V. Esta reformulação do produto demorará alguns meses, necessários para efetuar todos os testes necessários. Os próximos lotes que colocaremos no mercado terão já a nova formulação.

 

As questões práticas da recolha foram já explicadas noutros textos: os consumidores que tenham produto podem devolvê-lo na farmácia, onde serão ressarcidos.

 

Aspetos práticos da devolução

Poderá devolver na farmácia onde adquiriu sem necessidade de talão de compra onde serão ressarcidos do seu valor.


DISCLAIMER

Ao continuar a navegar na página web, o utilizador está a concordar expressamente com a colocação de cookies no seu computador que permitem medir estatísticas de visitas e melhorar a qualidade dos conteúdos oferecidos.

Clique aqui para mais informações.