Blog > Novidades

Sinais de alerta e idas à maternidade

Jul 31, 2018

Quando falamos em gravidez, o nosso pensamento associa a esta fase a saúde e bem-estar, no entanto podem surgir intercorrências, que importa estar atenta e saber como atuar perante algum sinal ou sintoma de alerta.

 

No primeiro trimestre da gravidez as náuseas e os vómitos são sinais comuns, controlados por uma alimentação polifraccionada ou, se necessário, com medicação prescrita para esse efeito. Porém podem surgir náuseas e vómitos incoercíveis, ou seja, vomitar sem conseguir controlar, sendo este um sinal de alerta que deve levá-la à urgência da maternidade.

 

Outros sinais que deverá estar atenta decorrem da subida dos valores da tensão arterial. Assim, se tiver dores de cabeça fortes ou tipo enxaqueca, dores de estômago, visão turva ou com presença de luzinhas brilhantes (esctomas em linguagem clínica), edemas dos membros inferiores que não regridem com a elevação dos mesmos ou que se mantém pela manhã, deverá avaliar a sua tensão arterial. Os valores de tensão arterial devem estar abaixo de 140/90mmHg, se isso não acontecer informe o seu médico assistente. Se tiver valores acima dos 160/100 mmHg deverá recorrer à urgência da maternidade.

 

A perda de sangue vivo, no início da gravidez, ou em qualquer outra altura, é também um sinal de alerta. Em qualquer momento da gravidez se perder sangue vivo, deve dirigir-se à urgência da maternidade. Não devemos confundir com a perda do rolhão mucoso no final da gravidez, um rolhão de muco por vezes raiado de sangue escuro que encerra o orifício do colo do útero. A perda do rolhão mucoso indica que existem alterações do tamanho e consistência do colo, mas o trabalho de parto pode ainda estar longe de acontecer.

 

A perda de líquido amniótico é um sinal de alerta, quando falamos de gravidezes abaixo das 37 semanas. Mas, nem sempre é fácil distinguir a perda de líquido amniótico da perda de urina, este sintoma sim, muito comum no final da gravidez pela pressão exercida pelo bebé na bexiga. Pode colocar um penso higiénico se este ficar molhado, mas sem cheiro a urina, então deve dirigir-se à urgência da maternidade.

 

A contractilidade uterina dolorosa também é um sinal de alerta, se ocorrer antes do termo da gravidez. Assim, se sentir dores tipo cólica menstrual, que não passam após descansar deve procurar a observação pelo seu médico assistente ou por um profissional de saúde. Se tiver mais do que 37 semanas, então as contrações podem ser o início do trabalho de parto, nesta situação não deve ir de imediato para a maternidade, pode esperar que as contrações sejam regulares com um espaçamento de 5 min, num primeiro filho, ou 10 min, num segundo; ou no caso de serem muito intensas.

 

Quando falamos em sinais de alerta, não nos podemos esquecer dos movimentos fetais, pois o movimento do bebé é sinal de bem-estar fetal. Após as 35 semanas, existe em todos os livros de vigilância da gravidez, um registo dos movimentos fetais que importa preencher. Em 12h o seu bebé deve mexer cerca de 10 vezes. Qualquer alteração do padrão do movimento do seu bebé, deve primeiro comer e descansar, mas se continuar sem mexer, então deverá ir à maternidade.

 

Resumindo, como sinais de alerta na gravidez temos:

  • náuseas e vómitos incontroláveis;
  • dores de cabeça, dores de estômago, esctomas, edemas dos membros inferiores associados a elevação da tensão arterial;
  • perda de líquido amniótico (gravidez abaixo das 37 semanas);
  • perda de sangue vivo;
  • contractilidade uterina dolorosa (gravidez abaixo das 37 semanas);
  • diminuição ou ausência de movimentos fetais;

 

Mas não se esqueça que qualquer dúvida, ansiedade ou receio que tenha, também são sinais de alerta que não deve descurar!


DISCLAIMER

Ao continuar a navegar na página web, o utilizador está a concordar expressamente com a colocação de cookies no seu computador que permitem medir estatísticas de visitas e melhorar a qualidade dos conteúdos oferecidos.

Clique aqui para mais informações.