fbpx

Artigo Médico

Artigo Médico

Dra. Graça Oliveira

Neonatalogista Hospital Santa Maria

Os prebióticos no cuidado da pele do bebé

Cada vez mais estudos provam os benefícios do uso de prebióticos dermatológicos. Fique a saber o que são e qual o papel que desempenham na saúde da pele do bebé.

  • A pele do bebé é mais fina do que a do adulto. É imatura, frágil e particularmente suscetível a agressões externas tais como trauma e infeções.
  • A superfície cutânea do bebé em relação ao seu peso corporal é 3 a 5 vezes superior em relação ao adulto, o que torna a pele do bebé mais permeável aos agentes agressivos: microrganismos, alergénios e toxinas.

A pele é a proteção essencial à vida

  • A pele é essencial à vida!
  • É ela que nos envolve e protege desde o nascimento.
  • As principais funções da pele do bebé são a prevenção da desidratação, da absorção de substâncias tóxicas e invasão por microrganismos, a proteção contra o trauma e contra a radiação ultravioleta e a termorregulação. Além de todas as funções vitais de proteção, a pele ainda garante a sensibilidade tátil do bebé.
  • As funções da pele são essenciais para garantir o bem-estar, a saúde e a sobrevivência do bebé. É por estas razões que é fundamental cuidar convenientemente a pele desde o primeiro momento.

Importância dos microrganismos no equilíbrio da pele

À superfície da pele existe uma comunidade de microrganismos, denominada microbiota, que vive em equilíbrio perfeito connosco. Existem dois tipos de microbiota: a residente e a transitória. A microflora transitória corresponde a microrganismos que permanecem na pele de forma temporária, e que não fazendo parte da microflora natural, têm algum potencial para se tornar prejudiciais. A microbiota residente, por seu lado, é composta por microrganismos benéficos que impedem a pele de ser colonizada por microrganismos agressivos, que provocam infeção.

A preservação da microbiota residente e dos seus microrganismos benéficos é essencial para manter a pele do bebé saudável.

Microrganismos benéficos são alimentados pelos prebióticos

Ao alimentarem os microrganismos benéficos, os prebióticos têm a capacidade de estimular as defesas naturais da pele, pois fortalecem as bactérias amigáveis da pele, impedindo assim o crescimento de bactérias nocivas. Desta forma, educam o sistema imunológico na prevenção da doença cutânea por trauma, infeção ou alergia.

Desequilíbrios na pele do bebé

Sendo a pele do bebé uma pele estruturalmente frágil e fisiologicamente imatura, a microbiota desempenha um papel preponderante na sua função de defesa.

Fatores como a utilização de produtos agressivos, carências nutritivas ou o meio ambiente, podem potenciar o desenvolvimento dos microrganismos agressores, levando ao desequilíbrio da microbiota da pele do bebé.

Vantagens do uso de prebióticos no cuidado diário da pele do bebé

Quando a pele do bebé perde o seu equilíbrio, as bactérias benéficas deixam de conseguir desenvolver-se e proteger-se das bactérias nocivas que penetram na pele, originando problemas como irritação, vermelhidão, prurido ou inflamação. Os prebióticos ajudam no reequilíbrio cutâneo e impedem o crescimento de microrganismos agressores.

Estudos demonstram que a utilização dos prebióticos em produtos para higiene e cosmética é importante para a manutenção de uma pele saudável do bebé. Ao associar prebióticos à composição de produtos de higiene, cosmética e tratamento para a pele do bebé, para além de limpar e hidratar, permite a regulação da microbiota. Assim, o equilíbrio biológico da pele é retomado, impedindo a proliferação de microrganismos patogénicos.

EFEITO DO PREBIÓTICO BIOLIN

  • PELE DESPROTEGIDA

    Flora cutânea desequilibrada

    <p>PELE DESPROTEGIDA</p>
<p>Flora cutânea desequilibrada</p>

    PELE DESPROTEGIDA

    Flora cutânea desequilibrada

  • EFEITO DO PREBIÓTICO BIOLIN

    <p>EFEITO DO PREBIÓTICO BIOLIN</p>
  • BARREIRA DA PELE PROTEGIDA

    Menor risco de doença cutânea

    <p>BARREIRA DA PELE PROTEGIDA</p>
<p>Menor risco de doença cutânea</p>

    BARREIRA DA PELE PROTEGIDA

    Menor risco de doença cutânea

Saiba mais sobre os prebióticos no cuidado da pele do bebé Saiba mais sobre os prebióticos

Quadro síntese:

  • O que são Probióticos?

    São microrganismos vivos (não patogénicos) que promovem o crescimento e a sobrevivência da flora benéfica para a saúde.

  • O que são prebióticos?

    Componentes alimentares não digeríveis que estimulam crescimento e/ou atividade de número limitado de bactérias benéficas para o organismo humano. Os prebióticos são o alimento dos Probióticos.

  • O que são prebióticos Dermatológicos?

    São componentes ativos que estimulam as defesas naturais da pele, ao nutrirem os microrganismos benéficos, que impedem o crescimento de bactérias nocivas na pele.

  • Quais são as vantagens do uso de prebióticos?

    A associação de prebióticos à composição de produtos de higiene, cosmética e tratamento para a pele do bebé permite:

    • – Regular a flora cutânea (microbiota da pele);
    • – Manter e promover o equilíbrio biológico da pele;
    • – Impedir a proliferação de microrganismos patogénicos que causam infeção.

Bibliografia

  • – Valido AM, Guimarães H, Amaral JMV, Januário L, Carrapato R, Tomé T, Martins V. Consensos em Neonatologia.
    Secção de Neonatologia, Sociedade Portuguesa de Pediatria 2004; 105-9
  • – Challenges in Neonatal Nursing: Providing Evidence-Based Skin Care. NANN 2003
  • – Cogen AL, Nizet V and Gallo RL. Skin microbiota: a source of disease or defence?. Br J Dermatol. 2008
    March; 158(3):442-455
  • – Krutmann J. Pre-and probiotics for human skin. Journal of Dermatological Science 2009;54:1-5.
  • – Caramia G, Atzei A, Fanos V. Probiotics and the skin. Clinics in Dermatology 2008 ;26:4-11.
  • – Al-Ghazzewi F and Hand Tester RF. Impacto of prebiotics and probiotics on skin health.Beneficial Microbes
    2014;5(2):99-107.
  • – Thomas DW, Greer FR, and Committe on Nutrition; Section on Gastroenterology, Hepatology, and Nutrition.
    Probiotics and Prebiotics in Pediatrics .Pediatrics 2010;126:1217
  • – Bockmu LD, Jasoy C, Nieveler S, et al. Prebiotic cosmetics: an alternative to antibacterial products. IFSSC
    Mag 2006;9:1–5.
  • – Holland KT, Bojar RA. Cosmetics. What is their influence on the skin microflora? Am J Clin Dermatol
    2002;3:445–9.
  • – Elias PM. The skin barrier as an innate immune element. Semin Immunopathol 2007;29:3–14.
  • – Fredricks, D.N.: Microbial ecology of human skin in healtand disease. J. Investig. Dermatol. Symp. 2001
    Proc. 6, 167–169

BRR 310-12/14